terça-feira, 18 de setembro de 2018

CBCE 1978-2018: 40 anos de páginas escritas


Olá pessoal,

O CBCE já faz parte da minha vida há 23 anos e nesse tempo muitas histórias, muitos encontros, alguns amores e muitas emoções. Nesse Setembro/18, esse mesmo CBCE completa 40 anos de existência e para contar um pouco dessa história, acompanhe uma conversa com o atual Presidente da entidade Prof. Dr. Vicente Molina Neto.


------------------------------------------
40 anos de páginas escritas. Ciência vivida no dia a dia desde a criação.

O que seria do tempo se não houvesse a experiência?
O que seria das lembranças se não houvesse o registro?





"Do mesmo modo como a história é a narrativa que presentifica uma ausência no tempo, a memória também recupera, pela evocação, imagens do vivido. É a propriedade evocativa da memória que permite a recriação mental de um objeto, pessoa ou acontecimento ausente.

E, neste ponto, é preciso considerar que todos nós temos um museu imaginário de imagens, transmissoras de uma herança do passado, veiculadas pela memória individual, forjada de acordo com a memória social. Como pensar, pois, em representações, sem ter em conta essa capacidade tão especificamente humana de armazenamento de idéias-imagens que transmitem significados?" (PESAVENTO, 2006)


São nossos 40 anos!

Queremos relembrar momentos dos nossos dias!

Assista ao convite do atual presidente do CBCE  ⇑⇑⇑

FELIZ ANIVERSÁRIO A TODOS QUE FAZEM O CBCE !
VIDA LONGA AO CBCE !


sexta-feira, 14 de setembro de 2018

XV Seminário de Pesquisa do PPGE - 24 a 27 Set 2018




PROGRAMAÇÃO DA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

Dia 24 de setembro - Segunda feira
Local: Miniauditório FE/UFG
Coordenação da Mesa: Prof. Dr. João Ferreira de Oliveira

8:00 às 8:15 - “ENTRANDO EM CENA”: HISTÓRIA E MEMÓRIA DE ZILDA DINIZ FONTES (1920-1984)
Mestranda: Alline Rodrigues Bento
Orientadora: Prof.a Dr.a Diane Valdez

8:15 às 8:30 - REFORMA DO ENSINO MÉDIO E NEOLIBERALISMO: OS DESCAMINHOS DA RELAÇÃO EDUCAÇÃO E TRABALHO NO BRASIL
Doutorando: João Ferreira de Araújo Júnior
Orientadora: Profa. Dra. Marília Gouvea de Miranda
Co-Orientadora: Profa Dra Gina Glaydes Guimarães de Faria

8:30 às 8:50 – Interlocutora: Prof.a Dr.a Solange Martins Oliveira Magalhães

8:50 às 9:05 - BIG BROTHER BRASIL: UMA ANÁLISE DO GRANDE IRMÃO À LUZ DA TEORIA CRÍTICA
Mestranda: Camila Pessoa de Souza
Orientadora: Prof.a Dr.a Sílvia Rosa da Silva Zanolla

9:05 às 9:20 - O SIGNIFICADO DA EDUCAÇÃO INFANTIL NA PERSPECTIVA DE FAMÍLIAS VINCULADAS ÀS INSTITUIÇÕES FILANTRÓPICAS EM GOIÂNIA
Mestranda: Danielle Lemos Barbosa de Assis
Orientadora: Prof.a Dr.a Ivone Garcia Barbosa

9:20 às 9:40 – Interlocutora: Prof.a Dr.a Maria Emilia de Castro Rodrigues

9:40 às 9:50 - Intervalo

9:50 às 10:05 – MOVIMENTO BRASILEIRO DE ALFABETIZAÇÃO (MOBRAL): LER E ESCREVER EM TEMPOS DE DITADURA MILITAR (GOIÁS: 1970-1985)
Mestranda: Danielly Cardoso da Silva
Orientadora: Prof.a Dr.a Diane Valdez

10:05 às 10:20 - EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO IFG-CÂMPUS INHUMAS: TRAJETÓRIAS LABORAIS E FORMATIVAS DOS EDUCANDOS DO PROEJA
Mestranda: Heliane Braga Coelho
Orientadora: Profa. Dra. Maria Emilia de Castro Rodrigues

10:20 às 10:40 - Interlocutora: Prof.a Dr.a Gina Glaydes Guimarães de Faria

10:40 às 10:55 - O BRINCAR E AS CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA: POSSIBILIDADES E LIMITES DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA
Mestranda: Adriana Maria Ramos Barboza
Orientadora: Prof.a Dr.a Ivone Garcia Barbosa

10:55 às 11:10 - O CONTROLE DO USO DE DROGAS NO BRASIL E OS FUNDAMENTOS DO PROIBICIONISMO
Doutorando: Marcos Flávio Mércio de Oliveira
Orientadora: Prof.a Dr.a Marília Gouvea de Miranda

11:10 às 11:30 - Interlocutor: Prof. Dr. João Ferreira de Oliveira

11:30 às 12:00 - Debate


14:00 às 14:30 – ABERTURA – Prof.a Dr.a Prof.a Dr.a Lúcia Maria de Assis
Local: Auditório da Faculdade de Odontologia/UFG


14:30 às 18:00 – CONFERÊNCIA – PESQUISA, EDUCAÇÃO E (DES)CONSTRUÇÃO DA DEMOCRACIA
Conferencista: Geraldo Augusto Pinto
Coordenação: Prof.a Dr.a Lúcia Maria de Assis; Valdeniza Maria Lopes da Barra
Coordenação da Mesa: Prof. Dr. José Paulo Pietrafesa
Local: Miniauditório FE/UFG

19:00h às 19:15 - O EGRESSO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA UNIVERSIDADE: DESDOBRAMENTOS DE SUA TRAJETÓRIA ACADÊMICA
Doutoranda: Nilda Gonçalves Vieira Santiago
Orientador: Profa. Dra. Maria Emilia de Castro Rodrigues

19:15 às 19:30 - O PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO DE CONHECIMENTOS E A MEDIAÇÃO DA LINGUAGEM ORAL: UM ESTUDO COM CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES
Doutoranda: Ana Rogéria de Aguiar
Orientadora: Prof.a Dr.a Ivone Garcia Barbosa

19:30 às 19:50 – Interlocutora: Prof.a Dr.a Valdeniza Maria Lopes da Barra

19:50 às 20:05 - EDUCAÇÃO DO/NO CORPO E LINGUAGEM: RELAÇÕES E CONTRADIÇÕES NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR
Mestranda: Aline Gomes Machado
Orientador: Prof. Dr. Tadeu João Ribeiro Batista

20:05 às 20:20 - A ATIVIDADE DOCENTE DO ALFABETIZADOR NOS ANOS INICIAIS DA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL NA REDE MUNICIPAL DE GOIÂNIA: ENTRE O TRABALHO VISÍVEL E O INVISÍVEL
Mestranda: Odiliana Ribeiro de Souza
Orientador: Prof. Dr. Wanderson Ferreira Alves

20:20 às 20:40 – Interlocutora: Profa. Dra. Edna Mendonça Oliveira de Queiroz

20:40 às 20:50 - Intervalo

20:50 às 21:05 - A POLÍTICA DE EAD E AS DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS: O CASO DA UEG NO PERÍODO 2014 A 2018
Doutoranda: Gisele Gomes Avelar Bernardes
Orientador: Prof. Dr. João Ferreira de Oliveira

21:05 às 21:20 - A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO JUNTO ÀS CRIANÇAS DE 0 A 2 ANOS: UM OLHAR SOBRE A ROTINA
Mestranda: Dayanna Cristine G. Rosa Bezerra
Orientadora: Prof.a Dr.a Vanessa Gabassa

21:20 às 21:40 - Interlocutor: Prof. Dr. José Paulo Pietrafesa

21:40 às 22:00 - Debate

Dia 25 de setembro - Terça feira
Local: Miniauditório FE/UFG
Coordenação da Mesa: Prof. Dr. Ricardo Antonio Gonçalves Teixeira
Local: Miniauditório FE/UFG

8:00 às 8:15 - A ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO EM GOIÁS: UM ESTUDO DE CASO MÚLTIPLO
Doutorando: Edson Ferreira Alves
Orientador: Prof. Dr. Nelson Cardoso Amaral

8:15 às 8:30 - EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA: DESAFIOS E IMPLICAÇÕES NO CONTEXTO ESCOLAR
Mestrada: Alessandra Martins Dias
Orientador: Prof. Dr. José Paulo Pietrafesa

8:30 às 8:50 – Interlocutora: Prof.a Dr.a Daniela da Costa Britto Pereira Lima

8:50 às 9:05 – EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA
Mestranda: Thabyta Lopes Rego
Orientadora: Prof.a Dr.a Daniela da Costa B. P. Lima

9:05 às 9:20 - FORMAÇÃO HUMANA E RACIONALIDADE INSTRUMENTAL À LUZ
DA TEORIA CRÍTICA DA ESCOLA DE FRANKFURT
Doutoranda: Welma Alegna Terra
Orientadora: Profa. Dra. Silvia Rosa da S. Zanolla

9:20 às 9:40 – Interlocutor: Prof. Dr. Ricardo Antonio Gonçalves Teixeira

9:40 às 9:50 - Intervalo

9:50 às 10:05 - A ESCOLA FAMÍLIA AGRÍCOLA COMO INSTRUMENTO DE REPRODUÇÃO SOCIAL CAMPONESA: CONSTRUINDO CAMINHOS DE RESISTÊNCIA
Mestranda: Érika Fernanda P. de Souza
Orientador: Prof. Dr. José Paulo Pietrafesa

10:05 às 10:20 - POLÍTICA PÚBLICA DE CONVÊNIOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE GOIÂNIA
Mestranda: Nicássia Alves Cezário
Orientadora: Prof.a Dr.a Daniela da Costa Britto Pereira Lima

10:20 às 10:40 - Interlocutora: Prof.a Dr.a Sandra Valéria L. Rosa

10:40 às 10:55 - POLÍTICAS DE ACESSO NO INSTITUTO FEDERAL GOIANO – CAMPUS URUTAÍ
Mestranda: Indiara Cristina P. de A. Marra
Orientadora: Prof.a Dr.a Lúcia Maria de Assis

10:55 às 11:10 - PNAIC, LITERATURA E AQUISIÇÃO DA LEITURA: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO E DOCUMENTAL
Mestranda: Simone Aparecida de Jesus
Orientadora: Profa. Dra. Gina Glaydes G. de Faria

11:10 às 11:30 - Interlocutora: Profa. Dra. Maria Emilia de Castro Rodrigues

11:30 às 12:00 - Debate
Coordenação da Mesa: Prof. Dr. Jadir de Morais Pessoa
Local: Miniauditório FE/UFG

14:00h às 14:15 - MOVIMENTOS SOCIAIS FEMININOS EM GOIÂNIA: HISTÓRIA, LUTAS POLÍTICAS E DEMANDAS EM FAVOR DOS DIREITOS DAS CRIANÇAS À EDUCAÇÃO INFANTIL
Mestranda: Juliana dos Santos P. Conti
Orientadora: Profa. Dra. Ivone Garcia Barbosa

14:15 às 14:30 - IMPLICAÇÕES SOCIAIS DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA SOBRE A COMPREENSÃO DE CORPO, ESTÉTICA E EDUCAÇÃO
Mestranda: Augusto César Vilela Gama
Orientador: Prof. Dr. Tadeu João Ribeiro Baptista

14:30 às 14:50 – Interlocutor: Prof. Dr. Nelson Cardoso Amaral

14:50 às 15:05 - EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E DESENVOLVIMENTO NA ADOLESCÊNCIA: CONTRADIÇÕES E PROPOSIÇÕES PARA O ENSINO MÉDIO
Doutorando: Marcos Jerônimo Dias Júnior
Orientadora: Profa Dra Sandra Valéria L. Rosa

15:05 às 15:20 - O DIREITO FORA DO DIREITO: O JURISTA POPULAR E A FORMAÇÃO DE UMA NOVA ORDEM JURÍDICA EMANCIPADORA
Doutoranda: Sirley Aparecida de Souza
Orientador: Prof. Dr. Jadir de Morais Pessoa

15:20 às 15:40 – Interlocutora: Prof.a Dr.a Diane Valdez

15:40 às 15:50 - Intervalo

15:50 às 16:05 - EDUCAÇÃO DO OLHAR E SEMIFORMAÇÃO
Doutoranda: Rômulo Fabriciano Gonzaga Pinto
Orientadora: Profa.Dra. Rita Márcia M. Furtado

16:05 às 16:20 - JUVENTUDE E PARTICIPAÇÃO POLÍTICA: O PROCESSO FORMATIVO DE JOVENS QUE PARTICIPARAM DOS MOVIMENTOS SOCIAIS EM GOIÂNIA NA DÉCADA DE 1990
Doutorando: Claitonei de Siqueira Santos
Orientadora: Profa Dra Miriam Fábia Alves

16:20 às 16:40 - Interlocutor: Prof. Dr. Jadir de Morais Pessoa

16:40 às 16:55 - A DIVERSIDADE EM SALA DE AULA NA BUSCA PELA APRENDIZAGEM INSTRUMENTAL: RESULTADOS E CONTRIBUIÇÕES DE GRUPOS INTERATIVOS
Mestranda: Janaína Silva de Assis
Orientadora: Profa. Dra. Vanessa Gabassa

16:55 às 17:10 - TERTÚLIA LITERÁRIA DIALÓGICA E ALFABETIZAÇÃO FREIREANA: ENCONTROS E DESAFIOS
Mestranda: Sussana V. P. Assis Fernandes
Orientadora: Profa. Dra. Vanessa Gabassa

17:10 às 17:30 – Interlocutora: Profa. Dra Valdeniza Maria Lopes da Barra

17:30 às 18h – Debate
Coordenação da Mesa: Prof. Dr. Wanderson Ferreira Alves
Local: Miniauditório FE/UFG

19:00 às 21:00 – Roda de Conversa com egressos

21:00 – Lançamento de livros e Atividade Cultural


Dia 26 de setembro - Quarta feira
Local: Miniauditório FE/UFG
Coordenação da Mesa: Prof.a Dr.a Maria Margarida Machado

8:00 às 8:15 - AVALIAÇÃO E FORMAÇÃO CONTINUADA: OS CAMINHOS QUE SE INTERCRUZAM
Mestranda: Sarah Rízzia Campos Luíz Miranda
Orientadora: Profa. Dra. Lúcia Maria de Assis

8:15 às 8:30 - CONTRIBUIÇÕES DE PAULO FREIRE PARA A CONSTRUÇÃO DA CORPORALIDADE NO CONTEXTO DA EJA
Mestranda: Mirian Rodrigues Peixoto Moura
Orientador: Prof. Dr. Márcio Penna Corte Real

8:30 às 8:50 - Interlocutora: Prof.a Dr.a Maria Margarida Machado

8:50 às 9:05 – O CORPO COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR
Mestranda: Bárbara Andressa M. de R. Mesquita
Orientador: Prof. Dr. Tadeu João Ribeiro Baptista

9:05 às 9:20 – JUVENTUDE E ENSINO MÉDIO INTEGRADO: DA EPISTEMOLOGIA ÀS CONTRADIÇÕES E POSSIBILIDADES FORMATIVAS
Doutorando: Murilo de Camargo Wascheck
Orientador: Profa. Dra. Maria Margarida Machado

9:20 às 9:40– Interlocutor: Prof. Dr. Ildeu Moreira Coêlho

9:40 às 9:50 - Intervalo

9:50 às 10:05 - O PACTO PELA EDUCAÇÃO EM GOIÁS (2011-2015) NO JORNAL O POPULAR: O DISCURSO POR DETRÁS DO ENUNCIADO
Mestranda: Mirian A. Mateus Gomes
Orientadora: Profa. Dra Valdeniza Maria Lopes da Barra

10:05 às 10:20 - O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO DE ADOLESCENTES, JOVENS E ADULTOS, DO ORIENTADO AO EFETIVADO: MANTER OU TRANSFORMAR?
Mestranda: Renusia Rodrigues dos Santos
Orientador: Profa. Dra. Maria Emilia de C. Rodrigues

10:20 às 10:40 – Interlocutora: Prof.a Dr.a Ivone Garcia Barbosa

10:40 às 10:55 - INDÚSTRIA EDITORIAL E O CONTO INFANTO-JUVENIL DE GUIMARÃES ROSA: DA LITERATURA À “LITERATURA”
Mestranda: Maíra Braga Adorno Dourado
Orientadora: Profa. Dra Juliana de Castro Chaves

10:55 às 11:10 - TRAJETÓRIAS FORMATIVAS DOS EDUCADORES POPULARES DO PROJETO AJA-EXPANSÃO E SUA RELAÇÃO COM A EDUCAÇÃO POPULAR
Mestranda: Maria Margarida de Santana F. Ferro
Orientadora: Profa. Dra. Maria Emilia de C. Rodrigues

11:10 às 11:30- Interlocutora: Prof.a Dr.a Ruth Catarina Cerqueira Ribeiro de Souza

11:30 às 12:00- Debate
Coordenação da Mesa: Prof. Dr. Jadir de Morais Pessoa
Local: Miniauditório FE/UFG

14:00h às 14:15 – AS CONCEPÇÕES DE FORMAÇÃO DOCENTE NO CONTEXTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO: OS SENTIDOS DISCURSIVOS PRODUZIDOS PELOS DISCENTES
Mestranda: Adriana Borges de Alencar Milhomen
Orientadora: Prof.a Dr.a Ruth Catarina Cerqueira Ribeiro de Souza

14:15 às 14:30 – USOS DE SI E TESTEMUNHO DOS TRABALHADORES DOCENTES EM SITUAÇÃO DE AFASTAMENTO
Doutoranda: Núbia Cristina dos Santos Lemes
Orientador: Prof. Dr. Wanderson Ferreira Alves

14:30 às 14:50 – Interlocutor: Prof. Dr. Nelson Cardoso Amaral

14:50 às 15:05 – RELAÇÕES ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: SINAES DO NOVO SÉCULO EM IES PRIVADAS DA RMG
Doutoranda: Aline Fagner de Carvalho e Costa
Orientador: Prof. Dr. Nelson Cardoso Amaral

15:05 às 15:20 – CONHECENDO VALORES, COMPORTAMENTOS E MODOS DE VIDA: UM ESTUDO NO ASSENTAMENTO RURAL DE VILA BOA NO MUNICÍPIO DE GOIÁS-GO
Doutorando: Rodrigo Bastos Daude
Orientador: Prof. Dr. José Paulo Pietrafesa

15:20 às 15:40 – Interlocutora: Prof.a Dr.a Marília Gouvea de Miranda

15:40 às 15:50 - Intervalo

15:50 às 16:05 – O CONTO DE BARIANI ORTENCIO E A FORMAÇÃO DA/NA GOIANIDADE
Doutoranda: Lilian de Castro Junqueira
Orientador: Prof. Dr. Jadir de Morais Pessoa

16:05 às 16:20 – AS RELAÇÕES DE GÊNERO NO CORPO
Mestranda: Kelly Cristiny Martins Evangelista
Orientador: Prof. Dr. Tadeu João Ribeiro Baptista

16:20 às 16:40 - Interlocutora: Prof.a Dr.a Diane Valdez

16:40 às 16:55 – DO BACHARELADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL AO BACHARELADO EM JORNALISMO - A RELAÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA NA FORMAÇÃO DO JORNALISTA DE ACORDO COM A EXPERIÊNCIA DOCENTE DO CURSO DE JORNALISMO DA UFG
Doutoranda: Silvana Coleta Santos Pereira
Orientadora: Prof.a Dr.a Anita C. Azevedo Resende

16:55 às 17:10 – O PIBID E A RELAÇÃO TEORIA E PRÁTICA NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS (UEG/QUIRINÓPOLIS)
Doutoranda: Andreia Cristina da Silva
Orientadora: Prof.a Dr.a Marília Gouvea de Miranda

17:10 às 17:30 - Interlocutor: Prof. Dr. Jadir de Morais Pessoa

17:30 às 18:00 - Debate
Coordenação da Mesa: Profa Dra Lúcia Maria de Assis
Local: Miniauditório FE/UFG

19:00 às 22h- Mesa redonda com docentes do PPGE
Coordenação da Mesa:

Dia 27 de setembro - Quinta feira
Local: Miniauditório FE/UFG
Coordenação da Mesa: Prof. Dr. Márcio Penna Corte Real

8:00 às 8:15 – ORGANIZAÇÃO DO ENSINO E FORMAÇÃO DO PENSAMENTO TEÓRICO EM MATEMÁTICA: PROPOSIÇÕES DO SISTEMA ELKONIN-DAVYDOV
Doutorando: Thallita Fernandes de Peres
Orientadora: Profa. Dra. Sandra Valéria L. Rosa

8:15 às 8:30 – PRIMEIRAS INSTRUÇÕES AOS INDÍGENAS DE LEOPOLDINA DE GOIÁS NO COLÉGIO ISABEL (1870-1890)
Mestrando: Angelita Aguiar Souza Cantuária
Orientadora: Profa. Dra. Maria Margarida Machado

8:30 às 8:50 - Interlocutora: Prof.a Dr.a Silvia Rosa da Silva Zanolla

8:50 às 9:05 – (IM)POSSIBILIDADES DA LITERATURA À FORMAÇAO PARA AUTONOMIA NA INFÂNCIA: IMPLICAÇÕES OBJETIVAS E SUBJETIVAS
Doutoranda: Márcia Ferreira Torres Pereira
Orientadora: Profa Dra Silvia Rosa da S. Zanolla

9:05 às 9:20 – PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS NA EDUCAÇÃO: AS ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR E AS OS’S
Mestrando: Deyner Batista Ferreira
Orientador: Prof. Dr. Wanderson Ferreira Alves

9:20 às 9:40– Interlocutora: Prof.a Dr.a Rubia-Mar Nunes Pinto

9:40 às 9:50 - Intervalo

9:50 às 10:05 – A DISCUSSÃO ESTÉTICO-FORMATIVA DA FOTOGRAFIA
Mestrando: Nathally Silva Cortez
Orientadora: Profa. Dra. Rita Marcia M. Furtado

10:05 às 10:20 - DESAFIOS E POSSIBILIDADES DA FORMAÇÃO INICIAL DE PEDAGOGOS PARA ATUAREM NA MODALIDADE EJA A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO
Mestranda: Bruna Lorrany da Silva
Orientadora: Profa. Dra. Valdeniza Maria L. da Barra

10:20 às 10:40 – Interlocutora: Prof.a Dr.a Maria Emilia de Castro Rodrigues

10:40 às 10:55 - AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSIBILIDADES E DESAFIOS NO USO DE PORTFÓLIOS
Mestranda: Liduina Vieira Arantes
Orientador: Prof. Dr. Ivone Garcia Barbosa

10:55 às 11:10 - TEORIA CRÍTICO-SUPERADORA: TRAJETÓRIA E IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA
Mestrando: Wanderson Pereira Lima
Orientadora: Profa. Dra. Gina Glaydes G. de Faria

11:10 às 11:30– Interlocutor: Prof. Dr. Márcio Penna Corte Real

11:30 às 12:00 – Debate
Coordenação da Mesa: Profa. Dra. Juliana de Castro Chaves
Local: Miniauditório FE/UFG

14:00 às 14:15 - PROFISSÃO E PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE: LIMITES, CONTRADIÇÕES E POSSIBILIDADES
Mestrando: Ariane Pereira Magalhães de Oliveira
Orientadora: Prof. Dr. Wanderson Ferreira Alves

14:15 às 14:30 - A ESCOLA DA COLÔNIA SANTA MARTA: ESTUDO SOBRE A EDUCAÇÃO DO HANSENIANO EM GOIÁS
Mestranda: Samara Garcia Oliveira
Orientadora: Prof. Dr. Ricardo Antônio G. Teixeira

14:30 às 14:50 - Interlocutora: Prof.a Dr.a Anita Cristina Azevedo Resende

14:50 às 15:05 – LEITURA E ESCRITA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: CONHECIMENTO, ENSINO E DESENVOLVIMENTO
Doutoranda: Mara Cristina de Sylvio
Orientadora: Profa Dra Sandra Valéria L. Rosa

15:05 às 15:20 - Interlocutora: Profa. Dra. Juliana de Castro Chaves

15:20 às 15:50 – Debate

15:50 às 16:50 – ENCERRAMENTO E AVALIAÇÃO
Coordenação: Profa. Dra. Rita Márcia M. Furtado

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Prêmio Professores do Brasil saiu para Goiânia - Cepae/UFG

Olá pessoal,

É com grande alegria e também honra que anuncio um dos vencedores do Prêmio Professores do Brasil/ Goiás.
Professor Leonardo Carlos de Andrade, atualmente professor substituto no CEPAE/UFG.

Parabéns Leonardo... nos alegramos e nos sentimos vitoriosos com sua vitória e pelo reconhecimento do seu trabalho. Prova que nossas teses sobre formação de professores estão do lado certo da história, porque dialogam com um determinado Projeto Histórico que empreendemos luta dia após dia.



Concurso Público Docente/IF Goiano - 45 vagas diversas áreas

Olá pessoal,

Mais uma oportunidade de ingresso na carreira do magistério público federal (EBTT). São várias áreas e a oportunidade de iniciar uma carreira com estabilidade em outra localidade do Estado de Goiás. #ficaadica #vaisovendo




"O Instituto Federal Goiano (IF Goiano) realiza concurso público para contratação de docentes para o quadro efetivo da Instituição. São 45 vagas, para diversas áreas distribuídas entre as unidades de  Campos Belos, Ceres, Cristalina, Iporá, Hidrolândia, Morrinhos, Posse, Rio Verde, Trindade e Urutaí. Interessados devem se inscrever no período de 24 de setembro a 14 de outubro, pela internet.
A seleção será realizada em quatro etapas: provas dissertativa e de desempenho didático, ambas de caráter eliminatório e classificatório, e prova de títulos e projeto de pesquisa ou extensão, os dois de caráter classificatório. O regime de trabalho é de 40 horas, com dedicação exclusiva, sendo a jornada de trabalho cumprida nos turnos matutino, vespertino e/ou noturno, inclusive aos sábados, atendendo a necessidade de cada Campus. A remuneração varia de R$ 4.463,93 a R$ 9.600,92, de acordo com a titulação do candidato aprovado.
As provas serão realizadas no dia 18 de novembro. A divulgação do resultado final está prevista para até 4 de dezembro."



quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Nota de repúdio ao “debate” da SBPC – Goiás com os candidatos ao governo



A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência em Goiás (SBPC-Goiás) organiza um “debate” com os candidatos ao governo de Goiás para, em suas palavras, juntar professores e pesquisadores do estado e conhecer suas propostas, em especial na área de Ciência, Tecnologia e Inovação, e entregar-lhes uma agenda com as pautas defendidas pela entidade na área.

Em uma atitude contrária a qualquer preceito democrático, alinhada com as concepções mais reacionárias que norteiam a política da grande mídia e do Congresso Nacional, de isolar, ignorar e silenciar sobre as propostas e ideias políticas dos partidos de esquerda, e contrariando seus próprios preceitos autoproclamados, de “contribuir na consolidação de uma consciência coletiva de nação, que possibilite o desenvolvimento sustentável e uma distribuição equânime da riqueza gerada”, a SBPC convida para o “debate” apenas os 4 candidatos com mais intenção de voto nas pesquisas, alegando não dispor de tempo para dar voz a todos. Coincidentemente, os referidos candidatos são representantes das mais retrógradas, antinacionais e antipopulares oligarquias locais. 

Ronaldo Caiado dispensa apresentações, com sua família sendo dona de latifúndios e representante dos interesses das elites locais desde o Brasil Império. Caso fosse do interesse dos Caiado desenvolver a ciência e tecnologia locais, certamente ao longo dos 150 anos em que esteve no poder teria tempo, influência política e recurso de sobra para turbinar nossa indústria e nossa produção científica. Por que Goiás, por exemplo, possuindo a maior reserva de nióbio do Brasil, um metal supercondutor utilizado em equipamentos médicos, indústria nuclear e aeroespacial, não é usado para transformar nossa condição de “celeiro do país”, de exportador de soja, em um estado com indústria e pesquisa de ponta, de fomento à alta tecnologia? 

Raquel Teixeira é a idealizadora das OSs na educação básica, que vão na contramão de qualquer ideia de educação pública, de qualidade e engajada na produção de futuros jovens cientistas e pesquisadores para as universidades. Além deles, temos Daniel Vilela (MDB) e Kátia Maria (PT), que representam interesses comprometidos com os partidos de suas coligações e com os patrocinadores de suas campanhas.

Além disso, Daniel Vilela votou a favor da Emenda Constitucional 95, que compromete e reduz investimentos em ciência e tecnologia por 20 anos, e Kátia Maria que não se posiciona contra as OSs em seu programa (privatização da educação e da ciência), bem como seu partido implementou a EBSERH que entregou os hospitais universitários e sua produção científica na mão de interesses privados.

Os candidatos identificados com o campo da esquerda, pelos partidos que expressam a classe trabalhadora goiana organizada de forma autônoma, sem rabo preso com empresários nem mecenas eleitorais, Marcelo Lira (PCB), Wesley Garcia (PSOL) e Alda Lúcia (PCO), foram solenemente ignorados pela SBPC sob a desculpa de não estarem entre os primeiros colocados nas intenções de voto. Ao tomar essa atitude, a Sociedade que diz representar os cientistas e pesquisadores brasileiros no estado de Goiás, demonstra seu caráter antidemocrático e consonante com os interesses da elite local, dominada pelo latifúndio, profundamente arraigada nas mais rudimentares formas de produção industrial e completamente desinteressadas numa produção científica e tecnológica que realmente coloque Goiás e o Brasil nos trilhos das economias de primeiro mundo, que investem em indústria pesada e tecnologia de ponta.

Para além disso, vale frisar que o latifúndio representa o extermínio da biodiversidade do Cerrado e dos povos originários, a produção de grãos inundados de fertilizantes e agrotóxicos destinados à exportação (70% do alimento que chega a nossa mesa vem da agricultura familiar), a hiperconcentração de terras, a degradação do trabalho humano (haja vista a recorrência de trabalho escravo nas relações de  trabalho no campo) e a destruição cada vez mais acelerada do bioma Cerrado. 

A SBPC ignora inclusive o fato que tanto o Marcelo Lira (PCB), quanto Wesley Garcia (PSOL), são professores, e têm contribuições de conhecimento profissional, além do aspecto puramente político, para contribuir num debate dessa natureza. Wesley é pedagogo e professor da rede pública de ensino básico em Valparaíso, e o Marcelo é professor da Rede Tecnológica Federal de Ensino, no IFG, sendo, portanto, além de candidato, um legítimo profissional que atua diretamente na área que será debatida no evento, um pesquisador e cientista social. Repudiamos a atitude da SBPC e consideramos pífio e patético organizar um suposto debate que impeça a participação de projetos alternativos e progressistas para a ciência, a tecnologia e inovação, se aliando à prática própria da mídia empresarial e do corrupto Congresso Nacional de invisibilizar projetos dissonantes.

Assinam essa nota:

Partido Comunista Brasileiro - PCB

Partido Socialismo e Liberdade - PSOL

Seminário Nós por Nós



Acontece na Faculdade de Educação da UFG, o Seminário "Nós por Nós" com o tema ENSINO E APRENDIZAGEM: UM OLHAR DE ESTUDANTES INDÍGENAS E QUILOMBOLAS PARA A FACULDADE DE EDUCAÇÃO.

Segundo os organizadores, "Será o primeiro evento da unidade nessa configuração, que conjuga diferentes formatos, rodas de conversa, apresentações culturais e palestras, tendo como foco o protagonismo de estudantes de graduação, pós-graduação e egressos da Universidade."

Espera-se socializar as "histórias de vida e as trajetórias acadêmicas para pensar as ações afirmativas e a diversidade na caminhada universitária."

Entre os assuntos que serão debatidos:

  1.  política de assistência estudantil;
  2.  saúde mental, permanência;
  3.  ensino e aprendizagem."

Data: 13/09/2018
Local: Pátio da Faculdade de Educação (UFG)

Horário: 19 horas

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Dossiê Revista Inter-Ação: Pobreza, Desigualdades e Educação

Olá pessoal,

Ajudando a divulgar a chamada para artigos para compor dossiês da Revista Inter-Ação da Faculdade de Educação da UFG.





Caros/as pesquisadores/as,

A revista Inter-Ação acaba de abrir chamada para artigos.

Para os dossiês de 2019, a Comissão Editorial elegeu os seguintes temas:

Dossiê Pobreza, Desigualdades e Educação: novas concepções ou velhos dilemas? (Volume 44, Número 1, jan./abr., 2019)

Coordenadoras: Profª. Drª. Karine Nunes de Moraes (UFG), Profª. Drª. Daniela da Costa Britto Pereira Lima (UFG), Profª. Drª. Simone Medeiros (SECADI/MEC)

Ementa: O dossiê Pobreza, Desigualdades e Educação: novas concepções ou velhos dilemas? objetiva apresentar e divulgar estudos e pesquisas educacionais  que tratem do tema Pobreza, Desigualdades e suas relações com a Educação. Busca refletir sobre as temáticas: Concepção de Pobreza e Desigualdade Social; Relações entre Pobreza, Cidadania e Democracia; Relação entre o Programa Bolsa Família(PBF), a Pobreza, a Desigualdade Social e a Educação; Contextos educativos  e suas relações com a Pobreza e a Desigualdade Social; Diversidades, Desigualdades, Identidades e suas relações com e entre a infância e a juventude em contextos empobrecidos; Escola: espaço de resistência e superação da reprodução das desigualdades; Os movimentos sociais e seus papéis na luta pelos direitos e combate à pobreza e desigualdade social; A pobreza e a desigualdade social como violação dos direitos humanos; e, Currículo educacional e Pobreza: limites e possibilidades. Deste modo, busca contribuir para a superação de uma concepção minimalista acerca das temáticas supracitadas de forma a reeducar o olhar da comunidade, das instituições e de profissionais envolvidos com a educação em sentido ampliado.



Dossiê Religião e Estado: confrontos na História da Educação (volume 44, Número 2, maio/ago., 2019)

Coordenadores: Profª. Drª. Diane Valdez (UFG), Prof. Dr. Luiz Antônio Cunha (UFRJ)

Ementa: A laicidade do Estado tornou-se um dos pontos mais sensíveis da pauta política do mundo atual, resultado de três processos principais: os movimentos integristas islâmicos que inviabilizaram as experiências laicas nos Estados do norte da África e do Oriente, tendentes a reposicionarem a legislação religiosa à civil; os movimentos terroristas de inspiração também islâmica, atuantes no Oriente e na Europa Ocidental, apoiados em contingentes imigrantes, proclamando guerras santas contra os infiéis; os movimentos fundamentalistas cristãos nos Estados Unidos e na América Latina, inclusive no Brasil, desencadeando conflitos com outras confissões e mobilizando inéditos processos de pressão para reforma legislativa. Esses processos incidem fortemente sobre a educação, particularmente sobre a escola pública, que assume as demandas de tais movimentos ou resiste a eles, diferentemente, conforme as distintas tradições laicas. Tudo isso suscita indagações sobre os processos históricos que geraram situações presentes de conflitos, mais intensos em alguns países do que em outros. Este dossiê objetiva tensionar e ampliar o debate a respeito do tema a partir de olhares sobre a história educacional no Brasil e em outros países da América Latina. Pretende-se reunir artigos de estudos e pesquisas que discutam sobre a presença religiosa nas instituições públicas sob distintos aspectos, a exemplo de cargos estratégicos, projetos, publicações didáticas, legislação, festividades, convênios, liturgias diversas etc.



Dossiê Reflexões sobre os 50 anos de estágio na intersecção entre universidade e escola campo (Volume 44, Número 3, set./dez., 2019)

Profª. Drª. Valdeniza Maria Lopes da Barra (UFG), Profa. Dra. Maria da Assunção Calderano (UFJF)

Ementa: A prática de ensino em formato de estágio ocupa lugar de relevo na formação inicial de professores. Possui a qualidade de combinar e explicitar, em ângulo privilegiado, aspectos estruturantes da formação docente, dados pela relação entre: formação inicial e formação continuada, teoria e prática, universidade e escola básica. Em 2019, se completará 50 anos da Resolução do Conselho Federal de Educação, n. 9 de 1969, que institui a parceria entre instituição formadora (universidade) e instituição concedente (escola "real"), pela via do estágio, no Brasil. Inventariar e analisar criticamente os processos que constituem esta relação (universidade e escola básica), assim como os sujeitos nela envolvidos (professores, estagiários), tanto como os engendramentos aí implicados, eis a proposta do dossiê Reflexões sobre os 50 anos de estágio na intersecção entre universidade e escola campo. O que, o itinerário de 50 anos de relação entre universidade e escola básica, pela via do estágio, tem a dizer sobre a formação de professores, no país? Quais os sentidos de programas atinentes à recente política nacional de formação de professores do país, cujo fulcro se constitui prerrogativa do estágio, como os casos do PIBID e da Residência Pedagógica? Diante do exposto, o dossiê ora proposto, pretende reunir estudos e pesquisas que tenham como objeto a formação de professores, pensada a partir dos desafios e possibilidades do estágio, no Brasil e em outros países.


Convidamos, portanto, V.S.ª a nos enviar, no período entre [01/10/2018] e [31/10/2018], artigo de sua autoria relacionado a um dos temas propostos.

As submissões poderão ser realizadas online através do endereço

Em caso de dificuldades técnicas, por favor, entre em contato conosco
através do e-mail: revistainteracao@gmail.com

Por fim, solicitamos seu precioso auxílio na divulgação desta mensagem.

Agradecendo seu interesse e apoio contínuo ao nosso trabalho.


José Paulo Pietrafesa – Editor

Keila Matida de Melo – Editora Adjunta

Revista Inter-Ação/UFG

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Extra, Extra!! APCN Aprovada - Mestrado em Educação Física/FEFD/UFG

Olá pessoal,

É isso mesmo que vocês leram no título da postagem!!


Foi divulgado o resultado da Avaliação de Propostas de Cursos Novos para calendários 2017 e 2018 e nessa lista que a CAPES divulgou nesta quarta-feira, 05, entre os novos cursos está a aprovação da APCN da FEFD/UFG - MESTRADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA.


É importante saber, que "os resultados publicados nesta etapa da avaliação podem ser alterados após os pedidos de reconsideração. Findo este prazo, a documentação dos programas aprovados será encaminhada ao Conselho Nacional de Educação (CNE). O órgão, então, decidirá sobre a autorização e o reconhecimento do programa, com posterior homologação do Ministério da Educação."

ENTÃO, TOMARA QUE NADA ACONTEÇA ATÉ A CONFIRMAÇÃO FINAL COM A HOMOLOGAÇÃO DO MEC.


De qualquer forma, parabéns aos Conselheiros da FEFD que se empenharam por todo o tempo entre as tentativas, parabéns a todas as comissões que trabalharam em cada período, a cada docente e técnico-administrativo.



O Centro-Oeste ganha com mais uma pós-graduação Stricto-Sensu, nível Mestrado em Educação Física na UFG.


terça-feira, 4 de setembro de 2018

Moção de repúdio à rede globo e sua opinião contra a figura do/a Professor/a Brasileiros

Resultado de imagem para cnte





MOÇÃO DE REPÚDIO À REDE GLOBO DE TELEVISÃO QUE, POR MEIO DE SUAS NOVELAS, MANIPULA OPINIÕES E JOGA A SOCIEDADE BRASILEIRA CONTRA A FIGURA DO/A PROFESSOR/A

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais do setor público da educação básica brasileira, REPUDIA de forma veemente a tentativa de manipulação da opinião pública brasileira contra a imagem dos/as professores/as.

Em capítulo exibido no último dia 01 de setembro, a novela global “O Tempo Não Para”, que ocupa a grade de programação da emissora no horário das 19h, personagens da trama travam um diálogo que sugere, explicitamente, que a culpa e responsabilidade da atual situação da educação pública brasileira é do direito de greve do/a trabalhador/a e de sua forma de contratação por meio de concursos públicos. Esse aparente inocente diálogo em uma obra de ficção escamoteia a intenção tácita de uma emissora de televisão que, acostumada a manipular a opinião pública, parece não ter se dado conta de que seu poder de outrora, nesse campo da construção das ideias no Brasil, está cada vez mais comprometido e muito mitigado. A sociedade brasileira já identifica na Rede Globo um mal que precisa ser regulado porque trata-se, sobretudo, de uma concessão pública e à sociedade deve servir.

O pitoresco da cena reproduzida na novela em questão não passou despercebido por expressivos segmentos sociais atentos ao atual momento político por qual passa o país. Em tempos de uma democracia golpeada, que contou com o apoio decisivo desse grupo de comunicações, o diálogo entre as personagens da novela flerta com as possibilidades de contratação de servidores públicos sem mais a necessidade de concurso público, muito em decorrência da aprovação recente da terceirização ilimitada e da reforma trabalhista. Em especial para a categoria do magistério, e em conjunto com a alteração proposta nesses dois normativos, a Reforma do Ensino Médio propõe a contratação de professores por “notório saber” para o ensino profissionalizante. A ideia sempre presente de conferir às nossas escolas a gestão por meio de organizações sociais (OSs) reflete o diálogo travado na teledramaturgia global. É evidente que a cena se propôs a ser um instrumento dessa disputa de ideias que se dá no campo dos projetos políticos e somente nesse campo deve ficar.

Todos sabemos o modelo de educação que a Globo defende, que é exatamente aquele que está se pavimentando no Brasil. Esse poderoso grupo econômico aguarda ansiosamente a aprovação da nova Base Nacional Comum Curricular – BNCC do Ensino Médio para que, assim, possa ser ofertado os seus telecursos pelo Brasil afora, atendendo aos preceitos do que se pretende impor no Brasil nos tempos de hoje. Para isso, eles precisam destruir o atual modelo público, tratando a educação como mercadoria. Por isso, a cena da novela não foi despropositada e tampouco desinteressada.

Não é à toa que o índice de audiência dessas novelas, e no mais de toda a sua programação, cai em vertiginosa queda anos após anos. As pessoas estão fartas dessas tentativas de manipulação grotesca. Contingente expressivo de nossa sociedade já percebe as entrelinhas e insinuações, sempre interesseiras, dessa emissora golpista. Está chegando o momento de regular essa distorção em nossa democracia. A democratização dos meios de comunicação é urgente e está próxima!



Brasília, 03 de setembro de 2018

Diretoria Executiva da CNTE