Mostrando postagens com marcador Políticas Públicas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Políticas Públicas. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Marcha pela Conscientização da Endometriose, vamos construir esse movimento?

Olá pessoal...

Há exatos 12 meses me deparei com a existência da Endometriose como uma doença da MULHER e comecei a perceber que nunca tinha ouvido ou lido nada sobre isso. Também nunca tinha ouvi mulheres reclamar das dores advindas da endometriose... o que não significa que nunca alguma mulher tivesse feito uma queixa e eu não tenha entendido... e fiquei muito incomodado. 

Quem me apresentou a doença foi uma amiga há pouco mais de 12 meses que nos conhecemos: a Profa @tatianazylberberg (Tatiana Passos Zylberberg) e seu Projeto de Extensão na Universidade Federal do Ceará @mulheresenovelos.

De lá até hoje muitos movimentos ocorreram e hoje estou na coordenação desse evento que acontecerá em Goiânia/Goiás pela primeira vez: a Marcha Mundial pela Conscientização da Endometriose que em 2019 terá sua SEXTA edição no Brasil em 21 cidades sob o comando da querida Jornalista Caroline Salazar (@aendoeeu) do Blog https://www.aendometrioseeeu.com.br


Esse é um evento a ser encarado assim como a doença, de maneira interdisciplinar com os olhares diversos da área da saúde, mas também das ciências humanas, pois estamos falando de gente, de pessoas, de MULHERES que sofrem por anos, muitas vezes em silêncio por causa do machismo, para citar um único exemplo.



Essa Marcha será um marco na vida de muitas pessoas, muitas mulheres. Mas espero que também na vida de muitos homens (parceiros, maridos, namorados, noivos, colegas de trabalho, chefes no trabalho, primos, vizinhos, pais e avôs...) entre tantos tipos relacionais nos contextos de vida vigente, pois precisamos cuidar de nossas mulheres, acolhê-las e ajudá-las nos períodos das crises de dores, sem preconceito e sem piadas, mas com sensibilidade e carinho.

PARA PARTICIPAR você pode CLICAR AQUI e se cadastrar-se como voluntário para participar da Marcha no dia 30 de Março de 2019.

Ou pode também ajudar a financiar esse evento que é feito por pessoas voluntariamente CLICANDO AQUI e conhecendo a nossa Vakinha Virtual.

CONVERSE COMIGO sobre como você pode participar de outras formas. As imagens anunciam o objetivo: além de respeito e reconhecimento, a valorização da Mulher através de Políticas Públicas de Saúde e Recursos para o #SUS.

Meu contato: Sérgio A. Moura  (62) 9.8404-1558 




#éparaasmulheres #querandarjuntos #endometriose #endoamigos #endomarido #endometriosis #endométrio  #EndoMarcha #EndoMarchaTimeBrasil
#mulheresenovelos #ondejazzmeucoracao
#aendoeeu #love instagram #instaendo #instaendometriose #amor
#ufg #EducaçãoFisica #Enfermagem
#Nutrição #Psicologia #Educação #Medicina #quemmaisvem
#21cidades 
#30demarço 
#2019 #Goiânia #Goiás

domingo, 1 de julho de 2018

SBPC e a Carta de Belo Horizonte - (Fora projeto rentista-neoliberal)

Muito bem pessoal,


A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), parece ter dado uma boa contribuição para o debate do projeto educacional brasileiro em meio do curso do golpe engendrado a partir de Abril de 2016. A SBPC divulgou dia 28/06/18, a “Carta de Belo Horizonte”. Essa carta é fruto de discussões ocorridas no ciclo de seminários temáticos da entidade intitulado “Políticas públicas para o Brasil que queremos”.

Transcrevemos a carta na íntegra para você acompanhar o resultado preliminar das discussões.





-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-X-
“CARTA DE BELO HORIZONTE”
DOCUMENTO RESULTANTE DO SEMINÁRIO TEMÁTICO DA SBPC
DESAFIOS DA POLÍTICA EDUCACIONAL PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA

A Educação Pública Básica brasileira, como todos os setores que são fundamentais ao desenvolvimento social da democracia brasileira, passa por uma crise que está sendo aprofundada por medidas adotadas pelo atual governo brasileiro. O Plano Nacional de Educação (PNE) de 2014-2024 traçou 20 metas para a Educação Brasileira, que incluem, entre outros, a universalização do atendimento em todos os níveis, a educação em tempo integral, a valorização do professor e o financiamento público da Educação. Essas metas vão sendo paulatinamente descumpridas pelo atual governo, que não se posiciona claramente em defesa do PNE, apesar de ele ser uma lei aprovada por unanimidade pelo Congresso Nacional. Por exemplo, no que tange a universalização do Ensino Fundamental, atualmente existem 2,8 milhões de alunos, entre 4 e 14 anos, que não estão na Educação Infantil ou no Ensino Fundamental. Ao mesmo tempo, as condições de oferta das vagas de escola pública enfrentam sério problema de infraestrutura, pois mais de 50% das escolas públicas brasileiras não têm condições mínimas de atendimento. A título de exemplo, apenas uma pequena minoria dessas escolas tem os quatro equipamentos considerados fundamentais ao seu funcionamento: biblioteca, laboratório de ciências, laboratório de informática e quadra esportiva. A profunda desigualdade econômica, que atinge os brasileiros e que está sendo aprofundada por uma série de medidas antipopulares do atual governo, colabora para o agravamento dos problemas educacionais. O desmonte das políticas públicas voltadas para a inclusão de todos os excluídos da e na escola acelera a imensa desigualdade que ainda caracteriza a sociedade brasileira. Em geral o que se consegue é oferecer uma escola pobre para os pobres. Os jovens, por outro lado, são empurrados precocemente para o mundo do trabalho ou pelos valores da sociedade de consumo, e a escola não responde às várias manifestações da cultura juvenil. Os professores da Educação Básica Pública experimentam uma série de desvantagens decorrentes do achatamento salarial a que estão, em geral, submetidos: jornadas de trabalho excessivas; formação continuada precária; desprestígio social do professor; precariedade da infraestrutura escolar; escolas em descompasso com as demandas sociais.
A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) sempre se posicionou pela Educação de qualidade como um direito de todos os brasileiros e um dever do Estado. A SBPC sempre defendeu que a formação para a cidadania implica numa sólida formação científica e em uma Educação que valorize e incentive a diversidade e a igualdade. Para fazer frente aos desafios educacionais do nosso tempo, é preciso investir em educação e levar em consideração que  políticas educacionais são complexas e exigem conhecimento especializado e não o desmando de pessoas não qualificadas. A integração das políticas educacionais com as demais políticas sociais é um imperativo para tirar o país da condição de uma das mais desiguais democracias do mundo. Neste ano de eleições gerais no Brasil, tanto para o executivo quanto para o legislativo, é fundamental que a SBPC leve aos candidatos um documento contendo as principais as reivindicações ligadas à Educação Básica.
No dia 15 de junho de 2018, no auditório “Luiz Pompeu de Campos, da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a SBPC promoveu seminário temático para debater os desafios da política educacional para a Educação Básica. Este foi um dos oito seminários temáticos promovidos pela SBPC, que já foram ou serão realizados neste primeiro semestre em diversos estados brasileiros. Os participantes desse Seminário Temático da SBPC debateram vários assuntos relacionados ao tema, dentre os quais foram levantados seis pontos considerados essenciais para a reconstrução de uma Política Educacional para a Educação Básica:
  1. Revogação da Emenda Constitucional 95, conhecida como a Lei do Teto, pois num país imensamente desigual como o Brasil é inadmissível o congelamento de gastos em políticas públicas de alcance e impacto social, como as relacionadas à Educação Básica.
  2. Defesa intransigente do Plano Nacional de Educação (PNE) 2014-2024, Lei no005, aprovada pelo Congresso Nacional em 25 de junho de 2014. Esse PNE, se cumprido, colocará a Educação Básica Pública em um novo patamar de qualidade, pois equaciona os principais problemas enfrentados pelo nosso sistema público de educação básica e propõe soluções para os problemas ao traçar metas ligadas à universalização do atendimento em todos os níveis, à educação em tempo integral, à valorização, carreira e formação do professor e ao financiamento público da Educação, entre outros temas importantes.
  3. Valorização do professor de Escola Pública de Educação Básica, com melhoria salarial, definição de uma carreira docente de modo a tornar a profissão atrativa, e dedicação exclusiva a uma única escola.
  4. Rejeição à forma como foi encaminhada a terceira fase da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), sem a participação das entidades representativas dos profissionais interessados na matéria, que resultou numa BNCC sem representatividade.
  5. Rejeição à nova Lei do Ensino Médio, Lei de n° 415, que institui um Ensino Médio pretensamente diversificado e integral. A não obrigatoriedade da oferta, pelas escolas públicas, de todos os itinerários formativos, exclui os estudantes que optariam por itinerários não oferecidos, principalmente aqueles em áreas críticas em que a falta professores de Ensino Médio afeta todo o sistema, como a área de ciências da natureza.
  6. Valorização da Educação Pública, gratuita e diversa em seu mais amplo caráter político.
Estes seis pontos constituem uma proposta preliminar de agenda mínima para ser discutida com as instâncias da SBPC, com outras sociedades científicas e com os demais setores da sociedade de modo a constituir subsídio para o documento sobre políticas públicas para Ciência, Tecnologia e Educação a ser entregue aos candidatos à Presidência da República e aos cargos legislativos federais.
As eleições de 2018 desempenharão um papel fundamental para definir os rumos do Brasil. É mister que os candidatos a cargos eletivos se pautem por uma agenda educacional capaz de reverter o atual estado de penúria em que se encontra a educação pública e que as políticas sociais possam novamente acenar para a inclusão da população sofrida e pobre. A SBPC se posiciona em defesa das conquistas educacionais da nação, e conclama todas e todos a um firme posicionamento em defesa da Educação Pública de Qualidade.
Além desses seis pontos, considerados fundamentais, foram discutidas ainda as seguintes reivindicações, que poderão compor o documento final da SBPC:
  1. Enfrentar o avanço do conservadorismo e de seus impactos nas políticas educacionais e sociais e trazer as questões raciais e de gênero para o centro do debate educativo.
  2. Dar visibilidade a um Pacto Nacional pela qualidade e expansão da Educação Infantil que inclua soluções para o financiamento, a formação de professores, e a revitalização de programas voltados para a Educação Infantil. É importante garantir o corte etário (data de referência: 31 de março) para o ingresso no ensino fundamental, afinal está em jogo o direito da criança a brincar, contra a precocidade imposta pelas elites fundamentadas na ideologia de mérito e no individualismo.
  3. Incluir na escola as diferentes culturas juvenis, formando professores que atuem em sintonia com as necessidades dos jovens.
  4. Controlar a oferta da EAD, sobretudo quando se referir à oferta de cursos formação de professores.
  5. Desnaturalizar as diferenças por meio de expedientes como racializar as identidades, generificar as diferenças e reconstruir as políticas públicas de reconhecimento das diferenças. Adotar financiamento afirmativo. Descolonizar os currículos e reeducar os próprios professores para as relações étnico-raciais e da diversidade.
  6. Tonar o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) permanente e vinculá-lo ao Custo Aluno-Qualidade inicial (CAQi) e ao CAQ.
  7. Utilizar os recursos públicos somente para a escola pública, não assinando novos contratos do FIES.
  8. Promover uma auditoria da dívida pública e reforma tributária de caráter progressivo.
  9. Estabelecer um regime de colaboração efetiva entre os entes federados.

Fonte: Jornal da Ciência (SBPC.NET)

segunda-feira, 11 de junho de 2018

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Especialización y Curso Internacional En Políticas Públicas y Justicia de Género





Especialización y Curso Internacional En Políticas Públicas y Justicia de Género


PRAZO FINAL DE INSCRIÇÃO 15 DE ABRIL/18


Modalidad: virtual

Especialización: 52 créditos, 480 horas / cátedra
Curso Internacional: 12 créditos, 120 horas / cátedra


Duración: abril de 2018 a marzo de 2019


Apoyo: Agencia Sueca de Desarrollo Internacional - MESECVI – OEA


MAIS DETALHES DAS INFORMAÇÕES, PRAZOS, VALORES E CRONOGRAMAS 


FUNDAMENTACIÓN
Las desigualdades de género, las inequidades y las barreras que persisten para el pleno desarrollo de la autonomía de las mujeres en América latina y el Caribe constituyen situaciones de injusticia, vulneración de derechos e impedimentos para su incorporación plena y diversa al desarrollo económico, social, cultural y político. La precariedad laboral, los problemas de acceso y derecho a la salud, la violencia de género y la baja representación política persisten y dan cuenta de las dificultades de los Estados para garantizar el reconocimiento pleno y el ejercicio de derechos, así como la calidad de vida a las mujeres.

En ese sentido, los Estados -apoyados en convenciones y acuerdos internacionales y en las demandas de los movimientos de mujeres- han priorizado la incorporación transversal del enfoque de género en las políticas públicas, con el objetivo de visibilizar y corregir las desigualdades e inequidades y de promover el cambio cultural para eliminar los estereotipos de género.

Los Estados están obligados a observar, implementar y rendir cuenta del cumplimiento de las disposiciones contenidas en los acuerdos, convenciones, tratados y resoluciones internacionales que reconocen y protegen los derechos humanos y ciudadanos de las mujeres. Constituye un desafío para los Estados, para las organizaciones que trabajan por los derechos humanos y especialmente por los derechos de las mujeres y para las/los profesionales que se desempeñan en este campo elaborar, implementar, dar seguimiento y evaluar políticas públicas con pertinencia cultural y territorial, que permitan avanzar en la construcción de la igualdad y la equidad de género y cumplir con los objetivos que se ha propuesto la comunidad internacional para el pleno reconocimiento y garantía de los derechos humanos de las mujeres.


DESTINATARIOS
La especialización está dirigida a estudiantes de posgrado; funcionarias y funcionarios públicos y del ámbito de la justicia; integrantes del poder legislativo; miembros y gestores de Organizaciones No Gubernamentales y profesionales interesados en políticas públicas de género; activistas y militantes de organizaciones y movimientos sociales; representantes de partidos políticos 

El Curso Internacional está dirigido, además de los destinatarios ya mencionados, a estudiantes de grado.


MAIS DETALHES DAS INFORMAÇÕES, PRAZOS, VALORES E CRONOGRAMAS 

sábado, 20 de janeiro de 2018

I Seminário Regional de Políticas Públicas de Esporte e Lazer


O Grupo de Estudos e Pesquisas Pedagógicas em Educação Física (GEPPEF) da UFMA organiza nos dias 05 a 09 de março, o I Seminário Regional de Políticas Públicas de Esporte e Lazer (Serppel) e a VII Semana Maranhense de Educação Física (SMEF).
Na Cidade Universitária Dom Delgado será discutida a temática “O direito ao esporte e lazer no contexto de retrocesso político no Brasil”.
O valor da inscrição para estudantes e profissionais será R$ 20 e R$ 40, respectivamente.
Acesse o formulário de inscrição e confira o site do GEPPEF para mais informações.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

III Jornada de Formação de Pesquisadores em Políticas Públicas de Esporte e Lazer

Acontece na próxima segunda-feira 04/12, a III Jornada de Formação de Pesquisadores e simultaneamente, o I Seminário de Gestão e Políticas da FEFD/UFG.
Essa é uma importante oportunidade para se aproximar do debate das políticas de esporte e lazer no Estado de Goiás, a partir da prática dos pesquisadores na área.

Você pode fazer sua inscrição no botão CLIQUE AQUI logo abaixo da imagem.

Bom evento! 






INSCRIÇÃO CLIQUE AQUI 





terça-feira, 5 de julho de 2016

I Seminário de Políticas Públicas de Esporte e Lazer: Megaeventos esportivos e seus legados

Acontece nos próximos dias 21 e 22, o I Seminário de Políticas Públicas de Esporte e Lazer: Megaeventos esportivos e seus legados.




"A conferência busca oportunizar aos participantes do evento discussões e reflexões sobre Políticas Públicas de Esporte e Lazer, em especial a temática selecionada para este seminário: Megaeventos esportivos e seus legados."

Universidade Estadual de Maringá
Av. Colombo, 5.790 Jd. Universitário Maringá - Paraná - Brasil CEP 87020-900.

Informações e inscrições ACESSE O SITE DO EVENTO


segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Polêmica, Contradições e Críticas

Olá,

O nosso blog hoje apresenta um episódio extremamente pertinente frente ao cenário dos reformadores empresariais da educação, suas estratégias, seus objetivos. Aqui vamos anunciar sobre as estratégias que tem sido utilizadas para divulgar ideias, apesar de não ter fundamentos metodológicos para tal.

Trata-se das críticas que Luiz Carlos de Freitas realizou sobre duas obras (e-books) do Instituto Alfa e Beto, as réplicas e as tréplicas do autor. São obras destinadas a fomentar políticas públicas e justamente por isso, foram alvo certeiro do camarada Freitas.

Vou linkar as postagens para que você as leia no blog do Freitas. Aproveite o debate, ele é rico e esclarecedor.

Feliz 2016 a todas e todos!!!!






quarta-feira, 12 de agosto de 2015

UFMG oferta Doutorado Latino-Americano em Educação – Políticas Públicas e Profissão Docente


As inscrições estão abertas até 20 de agosto 2015 para a seleção de candidatos ao Programa Latino-Americano de Doutorado em Educação – Políticas Públicas e Profissão Docente.

O objetivo do programa, oferecido pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (FaE/UFMG), é ampliar o intercâmbio entre os países da América Latina, por meio do trabalho conjunto de formação de pesquisadores no campo da educação, com ênfase nos temas relacionados à profissão e ao trabalho docente.

No total, são oferecidas sete vagas para ingresso no primeiro semestre de 2016. O Programa Latino-Americano de Doutorado em Educação se desenvolve no marco do Acordo Internacional de Cooperação Acadêmica Interinstitucional estabelecido entre a Unesco, a Rede Kipus e dez universidades latino-americanas.

O edital completo, nas versões português e espanhol, está disponível nos seguintes links:
ou
ou


Outras informações pelo telefone 55 31 3409-5309

sábado, 1 de agosto de 2015

Sorteio de Livro no blog II

Olá seguidores e visitantes do blog,

Hoje vamos informar como você pode concorrer ao livro da imagem abaixo.


Para participar deste sorteio basta você responder uma pergunta (seu nome completo e seu email) neste formulário. Isso mesmo, simples não é mesmo? 

BASTA ESCREVER SEU NOME COMPLETO E SEU EMAIL NESTE FORMULÁRIO E JÁ ESTARÁ CONCORRENDO.

Vamos lá!

O sorteio acontecerá dia 14 de Agosto de 2015 e se o ganhador morar em Goiânia ou Região Metropolitana, o livro será entregue no dia 15 de Agosto em um local a confirmar. Mas, se o ganhador morar em outra cidade, despacharemos pelo Correios.


quinta-feira, 30 de julho de 2015

Sorteio de Livro no blog I

Olá queridos, 

O blog vai sortear um novo livro, um livro novo. Há alguns dias anunciamos uma parceria com a Rubio Editora e é dela o livro que sortearemos nas próximas semanas.


Dia 01/08/2015 (sábado), anunciaremos os critérios para participar do sorteio deste livro.

Aos interessados em participar do sorteio visitem a página da editora e conheça um pouco da obra que será sorteada.


sábado, 14 de março de 2015

VII Jornada Internacional de Políticas Públicas/JOINPP - UFMA


A Jornada Internacional de Políticas Públicas (JOINPP) tem o propósito estratégico de estimular a produção de conhecimento, a formação de recursos humanos e favorecer a troca de experiências entre instituições e pesquisadores, em âmbito nacional e internacional. 
Em 2015 acontecerá a VII JOINPP, cujo tema é “PARA ALÉM DA CRISE GLOBAL: experiências e antecipações concretas”.  
Tema que conduz a pensar e agir para além da grande crise atual, como tarefa herdada do socialismo científico, erige-se a possibilidade de retomada de utopias concretas, relativas aos sonhos acordados e tentativas emancipatórias dos proletários.

Acesse o site do evento, cadastre-se e se inscreva!


terça-feira, 12 de novembro de 2013

Dê um 'Xeque' e mate a Educação Física Escolar

Essa imagem vem circulando as redes sociais e num post, questiona a disputa entre academias de ginástica e as aulas de educação física escolar.

O site em questão chamou a atenção para o embate Academias X Escolas.

Mas, eu gostaria de destacar o papel que os ícones do esporte vem cumprindo para a desqualificação da educação física escolar, quando se tornam empresários. Nesse caso, o campeão de Tênis - Guga.

Na verdade, penso que a decisão que o atleta tomou (em sociedade) de lançar essa campanha, cumpre um desserviço à possibilidade da Educação Física se tornar uma disciplina cujo corpo de conhecimentos traga efetivamente, relevância à formação de nossas crianças, adolescentes e jovens em idade escolar.
As atividades físicas na academia não podem substituir as aulas de educação física escolar, por inúmeros motivos, mas só destacarei um deles. A finalidade institucional por princípios, é antagônica.

O pior disso tudo, é que Gustavo Kuerten é um dos sócios franqueados da marca dessa empresa nas cinco unidades em Santa Catarina. Isso é sinônimo de uma relação que procurar igualar as aulas de educação física a uma mercadoria que ele vende em suas empresas. Uma jogada de marketing do um tipo predatório às ações educativas que a escola faz e pode fazer, ainda melhor do que qualquer ambiente privado de fitness, sobretudo, porque a finalidade não é o lucro, pensando nas escolas públicas, é claro, mas que entendemos que muitas escolas particulares têm outro entendimento e não barganham as aulas de educação física nesse contexto.

Sem falar que o slogan foi de uma infelicidade sem tamanho... de um mal gosto e de um desrespeito aos professores de Educação Física e à escola enquanto uma instituição social, política e cultural, que merece uma retratação pública e a retirada do cartaz de circulação.

Cadê as instituições que se dizem interessadas na educação física escolar?

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Concurso Professor Efetivo FEF/UFG

Publicado edital com uma (01) vaga de professor efetivo na área de "Estágio, Políticas Públicas e Trabalho em Saúde, Esporte e Lazer", na Fac. de Educação Física/UFG (Campus Goiânia)

O período de inscrição é de  01/11/2013 a 29/11/2013.





ACESSO AO EDITAL E NORMAS COMPLEMENTARES - CLIQUE AQUI

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Seminário Nacional: Mulheres, Esporte e Lazer e Políticas Públicas - Brasília-DF



INSCRIÇÕES:
Até o dia 13/11, por meio do e-mail mulheres.esportelazer@spm.gov.br 
informando nome, instituição, cargo, cidade/estado e justificativa (vagas limitadas). 
CONTATO TELEFÔNICO:
(61) 3411-5884 (Angélica)
(61) 3411-4227 (Tiago)
(61) 3411-4339 (Glória).

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

III Congresso Internacional de Envelhecimento Humano


Avanços da ciência e das políticas públicas para o envelhecimento

13 a 15 de junho de 2013
Campina Grande - Paraíba
Infinity Garden Hotel Campina Grande - Resort
Centro de Convenções Raymundo Asfora

Informações do evento no site 


Recebimento de trabalhos até meia noite de 26 de Abril de 2013


congresso + O melhor São João

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

3ras Jornadas de estudios sobre la infancia


3ras Jornadas de estudios sobre la infancia. Políticas públicas, saberes y vida cotidiana en Argentina y Latinoamérica (1880-2010)

Lugar y Fecha de realización: 1 y 2 de noviembre de 2012, Campus UNGS
Juan María Gutiérrez 1150- Los Polvorines - Bs. As-


Estas Jornadas se proponen constituir un espacio interdisciplinario para presentar y discutir distintos trabajos de investigación sobre la infancia en Argentina y Latinoamérica. En primer lugar, buscan valorizar un enfoque que reconozca el carácter histórico de la infancia con intenciones de otorgarle densidad a la comprensión de las problemáticas de la actualidad. En segundo lugar, propician un diálogo interdisciplinario que posibilite enriquecer los enfoques teóricos y metodológicos, e intercambiar experiencias y avances de investigación en una clave comparativa.

Programa de Trabajo

Jueves 1 de noviembre de 2012
10.00 a 10:30 hs. Acto de apertura
10:30 a 12.30 hs. Sesión de trabajo. Saberes expertos, tipologías institucionales y nociones de infancia: discursos y representaciones sobre los niños y niñas.
13:30 a 14:30 hs. Panel. Pensar la Infancia desde América Latina. Panelistas: Estela Scheinvar (UERJ-UFF/Brasil), Fernanda Bittencourt Ribeiro(PUC-RS/Brasil), Nara Milanich (Barnard College). Moderadora: Sandra Carli
14.30 a 16.00 hs. Sesión de trabajo. Vida cotidiana: prácticas culturales, infancia y familia.
16.00 a 17.00 hs. Presentación del libro Infancias: políticas y saberes en Argentina y Brasil, siglos XIX y XX (Cosse, LLobet, Villalta y Zapiola, eds., Editorial Teseo, Buenos Aires, 2011) a cargo de Patrice Schuch (UFRGS/Brasil).
17.00 a 18.00 hs. Conferencia: Lynne Haney – New York University

Viernes 2 de noviembre de 2012
9.30 a 12.00 hs. Sesión de trabajo. Estado, tribunales y justicia: interacciones e intervenciones con la infancia y las familias
12.00 a 13.30 hs. Taller de tesis
14.30 a 16.45 hs. Sesión de trabajo. Estado, instituciones y políticas: intervenciones e interacciones con la infancia y sus familias
17.00 a 18.00 hs. Conferencia de Clausura: Claudia Fonseca (UFRGS)

Informes e inscripción: jornadasinfancia2012@gmail.com
Se entregan certificados de asistencia

Coordinación
Isabella Cosse (Conicet/UBA), Lucía Lionetti (IEHS – UNCPBA), Valeria LLobet (UNSAM/Conicet),
Carla Villalta (UBA/Conicet), María Carolina Zapiola (UNGS).
Comisión Organizadora
Claudia Vargas (asistencia general)
Luciana Díaz (UNICEN), Soledad Viñas (UNGS), Florencia Gentile (UNGS), Soledad Gesteira (UBA), Gabriela Magistris (UNSAM), Marina Medan (UNSAM)
Auspician 
Sección de Antropología Social, Facultad de Filosofía y Letras, Universidad de Buenos Aires – Instituto de Ciencias-, Universidad Nacional de General Sarmiento – Instituto de Estudios Histórico  Sociales "Prof. Juan Carlos Grosso" , Universidad Nacional del Centro - Escuela de Humanidades, Universidad Nacional de San Martín –Programa de Historia, Universidad de San Andrés – Agencia Nacional de Promoción Científica y Tecnológica (ANPCyT).