segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Carta aberta do coletivo ESEFFEGO/UEG sobre o controle antidemocrático exercido pelo governo do Estado de Goiás.

Olá pessoal

querid@s que tem nos dado a honra do seu clique!!!
Estamos compartilhando uma carta escrita por um coletivo de educadores e estudantes da ESEFFEGO/UEG/GOIÂNIA. Acreditamos que não é necessário comentar nada.

Leia e construa seu entendimento. Pensando Freireanamente, Pensar Certo é uma necessidade dos educadores nesses tempos para fazer qualquer transformação bos rumos do caos que se avizinha.


Sobre o controle antidemocrático exercido na UEG, campus ESEFFEGO.
Houve, no ano passado (2017), eleições para diretores nos campus da Universidade Estadual de Goiás. A ESEFFEGO, unidade conhecida por ser combatente e de luta, não teve seu processo de votação respeitado, tendo o Governador Marconi Perillo nomeado o candidato derrotado para direção.
Fonte foto: https://www.instagram.com/p/BeUC-l6FL7Y/
Interessante notar que em debate gravado entre os candidatos da instituição, TODOS os três candidatos se compromissaram, frente à comunidade acadêmica, a NÃO ACEITAREM A NOMEAÇÃO CASO NÃO FOSSEM RESPALDADOS PELOS VOTOS DAQUELE PLEITO. Infelizmente, não foi o que aconteceu.
Após publicação da nomeação do candidato derrotado, professor Marcus Jary, houve a convocação de uma Congregação extraordinária em dezembro de 2017 para discutir a situação autoritária de intervenção no campus. Nesta reunião, o referido professor, motivo do encontro, não compareceu nem enviou justificativa.
A partir desta situação, descrevo sucintamente o que foi decidido:

A comunidade acadêmica repudiou a falta, sem justificativa, do professor Marcus Jary na Congregação, haja vista, que os professores Renato Spada e Wilmont Moura estavam presentes e dispostos para quaisquer esclarecimentos referentes ao processo eleitoral. Os presentes clamaram por um posicionamento do professor supracitado (indicado pelo Governador segundo DOE-GO de 05 de dezembro de 2017) e aguardaram o espaço institucional para essa ação.
  1. A comunidade acadêmica rejeita a postura da Reitoria e do Governo do Estado de Goiás em manter a lista tríplice e a prerrogativa Legal (Governador) em nomear o representante máximo da unidade universitária (seja ela qual for);
  2. Diante dos acontecimentos a comunidade acadêmica, em proposta única, votou por unanimidade (zero contrários e zero abstenções) pela paralisação do campus, por tempo indeterminado, até o professor nomeado pelo Governador do Estado de Goiás decline da decisão e o governador retroceda em sua ação e publique em DOEGO o professor eleito pela comunidade acadêmica.
Após esta Congregação, o candidato derrotado convocou nova Congregação, tentando discutir o Calendário de reposição. Foram levantadas Questões de Ordem procurando questionar a discussão, uma vez que precisaríamos, em primeiro lugar, discutir a volta ou não às atividades. Mais uma vez a Congregação votou a continuidade da paralização.
Neste sentido, nós, professores e alunos da ESEFFEGO/UEG, conclamamos à renúncia do referido candidato triplamente derrotado (uma eleição e duas Congregações) ou à desistência da nomeação por parte da Reitoria e do Governador, mantendo o direito da comunidade de eleger seu próprio representante de forma direta e democrática.
Ainda sobre o processo seletivo dentro da instituição, ressalta-se ainda nosso posicionamento contra todo e qualquer tipo de desrespeito à democracia, sendo a lista tríplice uma forma de nomeação autoritária. Posicionamo-nos também contrariamente à disparidade dos votos nas eleições para diretor, sendo o corpo técnico administrativo um total de representatividade de 15%, alunos 15% e professores 70%: defendemos o voto igualitário entre todos os envolvidos com a instituição.

Sendo assim, assinam esta carta: André Seabra; Bárbara Andressa Mendonça de Rocha Mesquita; Cleber de Souza Carvalho; Elizete Resende; Gabriel Bungenstab; Jeferson Moreira dos Santos; João Martins Vieira Neto; Kelly Cristiny Martins Evangelhista; Made Júnior Miranda; Marília Teodoro de Leles; Orley Olavo Filemon; Paulo Veloso Ventura; Reigler Pedroza; Renata Linhares; Renato Spada; Rodrigo Roncato; Rosirene Campelo; Ruy Guilherme; Tiago Onofre; Vicente Dalla Dea; Wilmont de Moura Martins; Centro Acadêmico de Educação Física.

E assinam também a carta os seguintes nomes:

- Luiz Delmar da Costa Lima;
- Veridiana Mota Moreira Lima;
- Eliene Nunes;
- Lilian Brandão Bandeira;
- Álcio Crisóstomo;

Postar um comentário