sábado, 11 de agosto de 2018

Estudantes, Professores e a Comunidade Protestam em Frente à Eseffego na Vila Nova

Olá pessoal,

Nosso blog também tem compromisso com a verdade dos fatos. 

Sobre o caso "Eseffego se muda para o Centro de Excelência", termos lido que a reitoria disse que a Eseffego não iria acabar e alguns dias depois,  se anuncia que a Eseffego passará a ser chamar Faculdade do Esporte, com o perdão da palavra: é muita canalhice da universidade. E mais, é tratar-nos a todos (sociedade) como bobos e ignorantes. 

A arbitrariedade e o autoritarismo não tem fim na gestão daquele espaço. Não é apenas boatos de que funcionários não podem se relacionar com quem discorda da mudança. E nem é apenas boatos de que funcionários sentem-se ameaçados de demissão a qualquer momento porque seus passos são sistematicamente vigiados. Sem falar na dispensa a qualquer momento já que o projeto de mudança para aquele lugar não vai caber tanta gente mesmo para trabalhar.

Ontem (10.08.2018) por volta das 17:00, estiveram presentes aproximadamente entre 50 e 80 pessoas (nem todos permaneceram o tempo todo por isso, a quantidade teve variações para quem observou a reunião das pessoas em momentos diferentes), cuja finalidade era protestar contra a decisão do governo de Goiás, da Reitoria da UEG e da Direção da Eseffego, de realizar uma ação que contrariou os interesses dos verdadeiros interessados: a sociedade. 

Estavam presentes, alunos e professores da Eseffego, ex-alunos e ex-professores da Eseffego, diversas alunas da UNATI (Universidade Aberta à Terceira Idade), simpatizantes da causa e transeuntes que paravam para conversar e tomar conhecimento do que se tratava aquele punhado de pessoas em frente à Eseffego na Vila Nova. E uma equipe de reportagem do Jornal O Popular. Só não estavam presentes os protagonistas da desordem institucional: os gestores e o governo.



Entendemos que os professores, alunos, comunidade que mora nas redondezas da Eseffego, na Vila Nova e bairros adjacentes, deveriam ter sido ouvidos sobre esse projeto de mudança. Tudo parece ter sido feito a toque de caixa. 

Aliás, essa expressão 'CAIXA' está em suspenso na compreensão de muitas pessoas. O questionamento é: Qual é a verdadeira finalidade dessa mudança da Eseffego? Teria algum vínculo com a mercadorização de áreas públicas para empresários do ramo de hipermercados e shoppings? 


Será que há semelhança com a destinação da antiga CPP (Centro de Prisão Provisória) área que virou hipermercado Assaí? Ou a área na Av. Independência que virou hipermercado Walmart? 


Será que a Eseffego virará um hipermercado Leonardo? Ou vai virar um grande empreendimento do ramo de shoppings?
O Ministério Público do Estado de Goiás, não vai se pronunciar sobre esse caso? Ah, vale lembrar que o MP-GO, só funciona se você denunciar.



Soubemos que uma emissora realizou uma matéria que está mais para propaganda, na medida em que o gestor não permitiu que ninguém (que se coloca contrário) se aproximasse do repórter durante a gravação. Conto a história mas não digo que era da Record TV Goiânia. A história da imprensa é interessante. Temos recebido o apoio para nos ouvir e nos ajudar a contar a versão não oficial dos fatos. 




Assim, eu destaco positivamente, a imparcialidade do Jornal O Popular e Jornal Daqui nesses episódios, permitindo que a sociedade goiana, goianiense, brasileira e no mundo (na medida que as notícias circulam pelas mídias digitais/sem fronteiras) e tenham acesso à outras versões, principalmente, à VERSÃO que, caso não haja reversão dessa mudança da Eseffego para o Centro de Excelência, centenas de pessoas (homens, mulheres, crianças, idosos) perderão, isso mesmo, PERDERÃO seu espaço de convivência e prática de atividades físicas, esportivas e culturais, além da sociabilidades que estão envolvidas em tais práticas.

O Caixão é uma metáfora à morte e à inexistência de políticas educacionais e sociais de inclusão, mas também é um aviso: haverá resistência, haverá luta e a história não será apagada simplesmente como querem e fazem os gestores da unidade e da universidade.

(Um dos momentos em que uma transeunte dialoga com uma professora para compreender o que se passa naquele momento)

Esperamos que dias melhores avizinhem-se do presente e nos colocamos a disposição para auxiliar na divulgação dos fatos, das verdades e dos interesses da classe trabalhadora, a única que de fato produz, mas não usufrui totalmente de produção pelo seu trabalho.

Estamos aqui no www.blogdosergiomoura.com

Mas você pode nos encontrar também...


INSTAGRAM - @blogdosergiomoura
Postar um comentário